terça-feira, novembro 15, 2005

Auto-justificativa ou um grito pros surdos ou detalhes de minha guerra particular

"Nós dois temos os mesmos defeitos: sabemos tudo a nosso respeito, somos suspeitos de um crime perfeito. Mas crimes perfeitos não deixam suspeitos." E eu fico assim, mão no peito e alma na boca pronta pra cuspir. Fico sentindo seus efeitos... Eu - que já quis esquecer, parar tudo, mergulhar fundo e esperar pra ver no que dá. É fato notório (hehe) que não vai dar em nada. Hoje, depois dos meus maiores êxtases, penso que ISSO é só mais um detalhe, um meio de testar os meus medos ou descair da mesmice que às vezes ameaça aparecer. Você é que está decaindo, mas eu já disse a mim mesma - mais de um milhão de vezes - que vou me desligar desse assunto.

Eu disse um dia que só existe o AGORA, longe disso não pode haver cobrança, pois nunca houve dívida! Isso ainda vale. E se depender de mim, vai valer sempre. Mesmo sabendo que o sempre não existe. É possível voltar atrás de cada passo que se dá, basta ter consciência de que as coisas nunca vão ser iguais ao que eram antes. "Mas no fundo eu nem ligo...Você sempre volta com as mesmas notícias!" Eu tenho a pele quente de uma alma transbordando, prstes a explodir. Às vezes eu penso que seria melhor se eu não soubesse. Depois eu penso em como é mais fácil porque eu sei. Saber ou não saber não faz tanta diferença quanto sentir.

Eu só escrevo para tentar arrancar de mim tudo o que eu quero tanto deixar aqui. É só um jeito de lavar essa ferida que eu quero manter aberta para continuar vivendo com urgência. Mas se não fosse tão igual... Se não fosse tudo tão igual! "Somos íntimos agora." Sempre que eu relembro eu acho tudo tão bonito. Penso que devia agradecer mais vezes. E fico me preocupando tanto com esses fragmentos de vida... Me escondo num papel dobrado que escondo num canto Da gaveta. Vaga-lume. Eu sonhei. Sonhei com uma mulata linda. Sonhei com uma barata e acordei cantando. Sonhei com uma vida normal e até me assustei ao acordar e ver a vida dormindo ao meu lado calada.

"Cada cheiro de vida, cada gosto de vida,
ao passo que me satisfaz
me aumenta a sede e a fome
(...)
Viver é dádiva.
Viver é dívida.
Vem ver a dália.
Viver é dolo.
Viver é dose.
E não é tão clichê quanto parece.
Prece."

Eu tenho uma vida encantada!!! Os silêncios e segredos fazem parte e me temperam nesse encanto. TANTO!
"- Eu tb." !

Nossa.

Um dia eu acordei e tava tudo fora do lugar, mas você não contou uma estória romântica porque o amor na prática é sempre ao contrário. E todas as minhas desculpas e culpas indesculpáveis são só pretextos de uma alma carregada que cospe, vomita, grita e até cala por não ser capaz de chorar suas sinceras-falsas dores.

Um comentário:

  1. Título múltiplo do subconsciente porque eu te falei ontem sobre a moça que colocava títulos múltiplos toda vez.
    O João vai ficar famosão. =P
    Eu acho que hoje tava ouvindo uma música que me fez pensar no que eu suponho ser a sua guerra particular. Não lembro qual era a música.
    Um beijo.

    ResponderExcluir

Sintaxe à vontade: