sábado, dezembro 02, 2006

A saudade é arrumar o quarto do filho que já perdi...

Eu tenho tido muitos sonhos perigosos.
Me visto de vermelho e ando corajosa pela vida.
Coragem é uma exigência muito cruel.

As vias se cruzam, entrelaçam e descruzam muito rápido ultimamente.
Tenho medo de um dia não dar mais pé.
Eu vi muita coisa passar por aí e acabei me deixando ficar em alguns cantos.
Paredes confortáveis de amarelo-sol.
O tempo não pede licença pra te atropelar, mas ele vira de costas depois que já passou e te dá um tchauzinho irônico.
Já vesti muitas máscaras pelo caminho. E algumas delas deixaram marcas profundas no meu rosto.
Hoje eu me despeço do tempo que já se foi. Lembro de roupas que agora só são lembranças... Guardo memórias e lugares eternos. Fica um monte de conhecimento inútil na cabeça.
E de tudo, conquistei pessoas lindas que o tempo, ainda que afaste, não apaga. Os rostos sorriem lindos nas fotos que eu vou lembrar e guardar.
Passei na rua e alguém chamou: - Pedro II!?
E eu vi que era comigo mesmo...

Um comentário:

  1. "Amarelo-sol" é muita bondade sua, hehe

    Partiu CEP 20000? 12 de dezembro e... putz, é aniversário da minha tia!! Agora que eu lembrei. Pôô, me lasquei. Vamos rezar pra que ela não comemore =P

    ResponderExcluir

Sintaxe à vontade: