quinta-feira, dezembro 23, 2010

Tudo diferente na noite que antecede o fim

Agora - tão pouco tempo depois - o mais esperado seria aquela angústia com o cheiro ainda presente, aquele vazio na pele fervida, aquelas músicas grudadas em algum lugar da cabeça. Mas agora, tão pouco tempo depois, é só essa sensação de que ficou faltando alguma coisa. De que o dia seguinte se confunde com a véspera. Como pode o desespero converter-se em vazio assim fácil e não trazer nem perto de junto a sensação de alívio, dever cumprido ou coisa que o valha.

As borboletas se foram da sua cabeça, nem mais um tipo de cor amontoando as ideias.

Agora essa vontade de que fosse menos, de que o antes tivesse sido muito menos intenso para ter deixado alguma esperança maior.

Um comentário:

  1. Voltei! E não é que tinha uma borboleta aqui dentro de casa hoje? Tive que pegá-la pelas asas bem de leve com as pontas dos dedos, usando toda minha racionalidade de polegar opositor e deixá-la voar pela janela. Era bem colorida. Depois te mostro a foto se vc não acreditar...

    ResponderExcluir

Sintaxe à vontade: