quinta-feira, outubro 20, 2005

Aos mares

Mais que um poema e uma foto
vão de oferta - viajando entre confidências,
solidificando em sonhos,
concretizando em vozes poéticas
lendo outros poetas -
de você até mim,
de mim até você.

"Conheci um rapaz, Eliza!
Você vai gostar..."
Quase uma professia, uma premonição.
Um sei-lá-o-quê de sei-lá-quem nos uniu.
Pegou pelos braços (paralelos)
Falou de poesia, planos, loucuras
Fez entre nós esses mil elos
Entornou na mesa amizade pura!
Dessas feitas de acaso
por mais que eu saiba
que ainda não fizemos.
Estamos fazendo...

E essa coisa que já virou hábito...
Virou até plágio isso de pedir um poema.
Mas eu pedi.
Ganhei dois até.
E ganhei outros muitos
em voz firme e branda
me rasgando a alma.

Voz não se leva para casa
Caos, mesmo da alma,
não se leva para cama.
Esqueci de avisar:
Eu não sei fazer poesia!!!
Mas eu sinto um monte delas
bem aqui dentro de mim.
E às vezes esse sentir dói
Às vezes esse sentir
cruza com outro sentir
E sente explodindo
e transbordo.
Daí escorre minha poesia...
Derrama-me a alma inteira no mar!
Nisso, vez ou outra,
aparece alguém que me afoga de vez
ou me leva à beira do mar
Faz-me noiva - mares 7
Dá-me medo de escolhas,
palavras no quardanapo
e pede algo em troca.
Eu tremo de receio.

Mas está aqui minha poesia torta - tonta
Inteira com cara de meio
Escrita por quem abre a porta
Com medo de dar o que leio.


-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Pra ti, Osmar!
conforme eu prometi.
Não é por nada não, mas eu saí linda nessa foto.
bjs

8 comentários:

  1. Não comento. Faço-me de desentendida, olho para o mar, e para a Eliza debruçada na janela...Eliza, com todos os seus poemas, com toda a sua segurança, com todos os seus gestos e almas. E, penso, minha menina está crescendo...Outrora brincavamos de futuro, e agora - e agora? Na memória, um poema qualquer feito numa tarde no centro. Saudades das nossas conversas futuras...
    Amo-te, minha irmã de almas...Com toda a intensidade de um segundo...Beijos Lili

    ResponderExcluir
  2. Bom num tava com paciencia de preencher meu nome...
    Eliza, manera a poesia, o texto, a receita, a fórmula, ou seja lá o q vc quiser chamar, invertar, dizer o q são essas palavras... bjs... fui... Luis...

    ResponderExcluir
  3. virou moda isso de não dizer quem é...

    ResponderExcluir
  4. Um Anônimo Nominado Indiretamentesexta-feira, 21 de outubro de 2005 16:03:00 BRST

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Sim, você sabe tecer um ensaio do que seria a GEOGRAFIA DA ALMA. Isso tudo faz parte do grande esquema de solidariedade chamado universo em que as coisas se anulam e se distraem. Obrigado por ter sido contundente como uma faca na poiésis do meu eu. Oh, oh, viajei...

    ResponderExcluir
  6. É, é, essas coisas bonitas espertas que esse pessoal daí falou. Concordo.
    Esse ano eu ainda não ganhei uma original Eliza. Fazer?
    É, é, foto bonita.

    ResponderExcluir
  7. liza!!!!!!!!!!!
    soh passando p/ diexar uma bjks e parabenizar...
    ótima poetisa.
    bjk da prima.

    ResponderExcluir
  8. aiai qts anônimos, qts pseudo filósofos heheh digo que estás linda, a fotógrafa é genial!
    te amo! beijão

    ResponderExcluir

Sintaxe à vontade: