quinta-feira, janeiro 26, 2006

Sonhos deuses desacreditados -in-existentes

Ela queria uma foto do sol e teve o sol inteirinho pra ela.
Ela podia tocar o feixe de luz e a mente de imagem a podia levar onde quisesse.
Era o que queria. Pensava ser apenas, mas pensar podia ser tudo quando era iludida por pura escolha.
E as letras deviam ser maiores - GARRAFAIS - para fazer tudo grande feito sua alma.
Ela era demasiado piegas, certamente. Mas gostava de ser-se sempre.
Acreditava que nada podia ser irreversivel.
Nada de choro que podemos viver bem.
Nada disso, meu bem, venha e me traga um sorriso daqueles...

2 comentários:

  1. Vai ver que tristeza é preciso. Chorar é preciso, vai ver.

    ResponderExcluir
  2. oi priminha!!!! to de volta!!!!
    e com saudades!!!!
    axo q tb kero o sol pra mim!!!
    será q seria pedir demais um pouko mais de calor??

    mil bjks!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Sintaxe à vontade: